Miauê
Para ter acesso à todos os recursos do fórum inscreva-se, é rápido e grátis
Conectar-se

Esqueci minha senha

Buscar
 
 

Resultados por:
 


Rechercher Busca avançada

Navegação
 Portal
 Índice
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Últimos assuntos
» Minha gata pode estar com problemas neurologicos? Me ajudem, por favor.
Sex Jan 10, 2014 6:44 pm por Priscilla Grillo

» doença grave de pele
Ter Abr 17, 2012 8:03 pm por PatGatitos

» doenca de gato
Sex Nov 18, 2011 12:10 pm por Rosana Gaby

» Usar produtos de limpeza exige cuidado quando se tem pets em casa
Ter Jun 14, 2011 11:20 am por Rosana Gaby

» Nada como o abraço da mamãe...
Seg Jun 06, 2011 9:29 am por Rosana Gaby

» Bobtail Japonês
Seg Jun 06, 2011 8:16 am por Rosana Gaby

» Siamês Tudo sobre a raça
Qua Jun 01, 2011 1:49 pm por Rosana Gaby

» GATOS NO FRIO
Seg Maio 30, 2011 12:01 pm por Rosana Gaby

» Quem é que manda...
Seg Maio 30, 2011 8:52 am por Rosana Gaby

Galeria


Estatísticas
Temos 41 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de angela martins

Os nossos membros postaram um total de 109 mensagens em 100 assuntos
Dezembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31      

Calendário Calendário

Palavras chave


Transtornos mais comuns do sistema nervoso do gato

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Transtornos mais comuns do sistema nervoso do gato

Mensagem  Rosana Gaby em Sex Abr 15, 2011 9:28 am

SISTEMA NERVOSO CENTRAL

O sistema nervoso central está bem protegido, inclusive contra golpes violentos. No entanto, os nervos periféricos são mais fáceis de serem danificados. A espinha dorsal parte do cérebro e corre pelas costas através de um canal na coluna vertebral, transmitindo impulsos motores aos músculos, via nervos.
A graça, coordenação e agilidade do gato requer o controle de um sistema nervoso sofisticado. Normalmente, a intricada rede de nervos funciona sem contratempo algum.
Mas se apresentar algum problema, pode ser bastante sério.
A dificuldade em se locomover ou a paralisia de uma pata pode ocorrer por danos ou por acidente, tanto na espinha dorsal como nos nervos que atendem essa parte do corpo. Se esses nervos não se recuperarem, a paralisia poderá ser permanente..
A causa mais freqüente de problemas nervosos são as seqüelas de acidentes.
Ainda que raramente, um gato pode sofrer espasmos (contrações que passam rápido e sem perda de consciência) de origens diversas: tumor cerebral, envenenamento ou epilepsia (mal hereditária). A inflamação do cérebro ou da espinha dorsal podem estar associados a enfermidades infecciosas.

TRANSTORNOS DO SISTEMA NERVOSO

LESÕES CEREBRAIS
DESCRIÇÃO
Os traumatismos graves no cérebro são devido a acidentes e tombos, normalmente fatais. As paralisias, muito raras nos gatos, ocorrem quando há formação de um coágulo de sangue no cérebro e podem conduzir a uma ausência de funcionalidade de parte do corpo. As lesões cerebrais também podem ser originadas por um tumor, um defeito congênito ou alastramento de uma infecção bacteriana, como a toxoplasmose, leucemia felina, panleucopenia e a Aids Felina.

O QUE FAZER
A intervenção urgente de um veterinário é vital em acidentes, especialmente se há suspeita de danos na cabeça. O coágulo deve ser removido, pois pode levar à morte. A maioria dos gatos se recupera bem dos golpes, mas algumas seqüelas como perda da visão ou espasmos podem necessitar de tratamento.

MENINGITE
DESCRIÇÃO
Transtorno nervoso, pouco freqüente, afeta a membrana que recobre o cérebro e a espinha dorsal. Produz febre, dilatação das pupilas, perda de apetite e convulsões. Surge devido a uma infecção mal curada.

O QUE FAZER
Precisa de tratamento veterinário urgente e eventual extração de amostras da espinha dorsal para análise

ENCEFALITE
DESCRIÇÃO
É uma inflamação do cérebro que pode ser produzida por um vírus, como o da raiva ou por infecções bacterianas. Os sintomas podem variar. Entre eles se destacam a febre, a dilatação das pupilas e a paralisia. Tratamento veterinário urgente.

O QUE FAZER
O profissional terá de estabelecer a origem da infecção.

ESPASMOS E EPILEPSIA
DESCRIÇÃO
São relativamente raros nos gatos. Podem ser por hereditariedade, lesões cerebrais, envenenamento ou carências vitamínicas. Os ataques epiléticos podem começar quando o gato alcança os 6 meses, no caso da doença ser hereditária, ou subitamente em conseqüência de um acidente ou golpe na cabeça.

O QUE FAZER
Procure um veterinário imediatamente. Não movimente o gato durante um ataque. Espasmos e epilepsia podem ser tratados com drogas anticonvulsivas.

PARALISIA
DESCRIÇÃO
A espinha dorsal e os nervos de uma parte do corpo podem ficar danificados em conseqüência de um acidente, originando paralisia na zona afetada. As mais freqüentes são da cauda ou da pata. O gato é incapaz de carregar qualquer peso sobre a pata e pode arrastá-la, assim como a cauda.

O QUE FAZER
Se o nervo for seriamente danificado e se houve fratura do membro, pode ser preciso uma amputação. A maioria dos gatos é capaz de se movimentar bem com três patas.

ENVENENAMENTO
DESCRIÇÃO
No caso de o gato comer algum roedor morto por ter ingerido veneno para ratos, a intoxicação costuma ser grave, pois tais substâncias normalmente atacam o sistema nervoso. Os inseticidas domésticos também costumam ser tóxicos aos gatos. O envenenamento apresenta sintomas como convulsões, tremores musculares, vômito, baba excessiva, respiração ofegante e diarréia.

O QUE FAZER
Se há suspeita de que o gato sofreu um envenenamento, é preciso levá-lo ao veterinário imediatamente, e identificar, se possível, a substância ingerida. Não lhe dê leite - fará com que o veneno seja mais rapidamente absorvido.

PERDA DE EQUILÍBRIO
DESCRIÇÃO
A instabilidade e a falta de coordenação ao caminhar podem ser resultado de desenvolvimento defeituoso, de ferida, de carência vitamínica ou de problema interno do ouvido.

O QUE FAZER
O gato deve ser submetido com urgência a um minucioso exame veterinário.

REFLEXOS
O exame dos reflexos é o primeiro passo para a investigação de qualquer transtorno nervoso. Dão uma indicação clara da parte do sistema nervoso que não está funcionando com normalidade. O veterinário pode comprovar também a capacidade do animal para contrair a pupila quando o seu olho é enfocado com um ponto de luz. Um gato semiconsciente pode não reagir aos estímulos, se sofreu um forte choque. O raio-X e a análise da medula espinhal são feitos, se houver suspeita de algum transtorno nervoso. Quando uma pata apresenta ausência de sensibilidade ou de reflexos e o gato é incapaz de controlar o ato de urinar ou de defecar, as perspectivas de recuperação não são boas. Porém, ele pode se recuperar de algum dano neurológico. Cada caso precisa de assessoramento veterinário.

avatar
Rosana Gaby
Admin

Mensagens : 103
Data de inscrição : 14/04/2011
Idade : 29

Ver perfil do usuário http://miaue.catsboard.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum